Em Comportamento, Dicas Rápidas, Educação, Finanças e Saúde, Geral

A falta de controle financeiro é um dos maiores responsáveis pelas crises de ansiedade, principalmente depois da crise de 2016. Se você precisa iniciar um controle financeiro mas não sabe nem por onde começar, este artigo é para você. Se você quiser saber algumas razões para olhar para o dinheiro de uma maneira diferente, leia este outro artigo.

A falta de controle financeiro é um dos grandes gatilhos de estresse e ansiedade, principalmente depois da crise de 2016 quando a economia do Brasil entrou em recessão severa que tem sido agravada pela pandemia de 2020. Se você está com sintomas de estresse, a acupuntura pode te ajudar. Agende uma consulta aqui.

Pasmem, mais de 50% dos brasileiros não sabem quanto gastam por mês e mais da metade da população não possui uma reserva de emergência. Em momentos de crise, aqueles que têm algum dinheiro em caixa tem dupla vantagem sobre aqueles que não tem dinheiro em caixa.

A primeira vantagem é que eles passam pelo período de crise com um pouco mais de tranquilidade e segurança. Se a empresa fechar, se perder o emprego ou se perder a fonte de renda da casa, não será um problema imediato para a família, pois há um colchão financeiro para amortecer a queda.

A segunda vantagem é que, geralmente em momentos de crise surgem oportunidades únicas e que se o dinheiro for bem investido, podem render excelentes ganhos quando a economia se recuperar. 

Se você está na porção da população que não possui uma reserva de emergência, veja abaixo 4 dicas de ouro para você começar a montar a sua reserva hoje mesmo. 

Um aviso importante: para gastar dinheiro é muito rápido e muito fácil. Para juntar dinheiro, é preciso paciência, perseverança e adiar a satisfação de alguns desejos momentâneos. Mas eu garanto que daqui a 5 anos você estará muito feliz de ter começado hoje.

 

Dica de Ouro #1 – Saber quanto você custa por mês, e por ano reduz a ansiedade.

Este é sem dúvida o ponto mais importante para sua saúde financeira. São três perguntinhas simples: Quanto você gasta por mês? Em que você está gastando? Onde você poderia economizar facilmente? A ansiedade está exatamente em não saber a resposta para estar perguntas, por isso o controle financeiro é tão fundamental.

Para responder a estas perguntas eu recomendo a utilização de alguma ferramenta para controle financeiro. Pode ser um planilha de excel, um aplicativo de celular como o Expense Manager, ou outro aplicativo gerenciador financeiro. Se você não é muito dado à tecnologia, pode utilizar um simples caderninho para anotar seus gastos diários.    

O importante é você anotar todos os gastos do mês. Mas são todos mesmo! Sabe aquela balinha que você comprou na banca de jornal outro dia? Sim, ela também conta! Ao final do primeiro mês é preciso compilar e analisar os dados. Assim você terá a noção exata para onde está indo o seu dinheiro. 

Porém, é fundamental que você faça isso todos os meses. Assim você conhecerá a sua dinâmica de consumo durante o ano todo. Isso é importante pois há o período de férias, o inverno e o verão que podem alterar a conta de luz, viagens, festas, presente, dentistas, impostos, material escolar e tudo isso tem um impacto grande no seu orçamento, e você precisa saber o tamanho desse impacto para se programar.

Desta forma fica fácil de você saber onde e quando você pode economizar em determinado produto ou serviço. 

 

Dica de Ouro #2 – Primeiro pague o seu futuro, depois pague suas contas.

Aqui é a dica de ouro para responder àquela velha máxima: “o que sobrar no fim do mês eu guardo.” Saiba que não vai sobrar! No seu inconsciente, onde residem seus desejos de consumo, o presente é muito mais importante do que o futuro. 

Porém, em sua mente racional, que cuida das contas que você tem pra pagar e dos seus planos de vida, você sabe que o é preciso guardar um pouco de dinheiro para o futuro. Como resolver este impasse? 

É simples! Assim que você receber qualquer quantia de dinheiro, reserve imediatamente uma porção dele em um local que seja difícil de acessar. Vamos analisar esta proposta.

Comecemos por “guardar qualquer quantia”. A minha sugestão é sempre guardar 10%. Se você recebeu seu salário de R$2000, separe R$200 imediatamente. E você passará a viver com R$1800. Estes R$1800 você pode gastar tudo, pois já guardou o que você precisa. Mesmo se você receber pequenas quantias como aqueles R$10 reais de um amigo que te devia. Guarde R$1 real.

Nesta prática, não é importante a quantidade de dinheiro, mas sim o hábito de separar um pouquinho toda vez que entrar dinheiro. Isso precisa se tornar um hábito em sua vida. Vá devagar e com persistência. Como disse Warren Buffett “Não importa o quão grande seja o talento e esforço, algumas coisas levam tempo. Você não consegue produzir um bebê em um mês fazendo com que nove mulheres fiquem grávidas”. 

Passando para a próxima análise da afirmação acima: “guarde em um local que seja difícil de acessar”. Isso significa que não adianta muito você transferir para a conta poupança que vem junto com sua conta corrente no seu banco. A facilidade para você resgatar é muito grande. 

Como no início você está ainda aprendendo a viver com 10% a menos no seu orçamento, a tentação de resgatar esse dinheiro na primeira dificuldade é muito grande. Então guarde em um lugar que você vai ter dificuldades para resgatar.

A minha sugestão é que você abra uma conta em uma corretora financeira. Na maioria delas a abertura da conta é gratuita. Eu gosto da Easynvest,  RicoXPModal Mais ou Clear. Mas para começar eu indico mesmo a Easynvest. É a mais simples e tem uma plataforma bastante intuitiva e fácil de entender.

 

Dica de Ouro #3 – Reserve 10% do que você ganha hoje para o seu futuro.

Mas quanto eu devo economizar? O que eu vou conseguir comprar com esse dinheiro? Quanto eu vou juntar em um ano? No início são muitas perguntas e quase nenhuma resposta. Por isso, eu recomendo começar com 10% da sua receita bruta.

10% é um valor mágico. Estudos mostram que em todas as sociedades e comunidades humanas com as mais diferentes formas de economias, o valor de 10% sempre esteve presente. De um pé de laranjas no quintal de casa, 10% era usada para fazer conserva em forma de geleia. As igrejas pedem um dízimo de 10% da renda. Então fica aí uma dica. Pense que o dinheiro são as suas laranjas do exemplo citado acima. Guarde 10% do seu dinheiro e de qualquer dinheiro que entrar. 

Isso porque você pode receber um salário de R$3000 uma vez por mês e guarda R$300 de uma só vez. Mas se você faz 1 venda por dia de R$100 e guardar R$10 por dia, no final do mês você terá juntado R$300. 

 

Dica de Ouro #4 – Crie uma reserva de emergência

Sabendo quanto você custa por mês e quanto você gasta, possibilita que você calcule quanto você precisa para passar 6 meses sem trabalhar em caso de crise econômica, perda de emprego, crise sanitária como esta do coronavírus. Você consegue calcular até quanto você precisa pra viver 12 meses sem ter receita!

Vamos supor que uma pessoa tem salário de R$1500 por mês. Ela já separa 10% disso, ou seja R$150. Então ela tem R$1350 para passar o mês. Ao fazer o controle financeiro ela percebe que precisa de R$1300 para passar o mês. 

Então ela multiplica este valor por seis e terá o valor da reserva de sobrevivência que ela precisa criar. 1300 x 6 = 7800 reais.

Este é o valor que ela deve ter investido em um fundo de alta liquidez (falarei a respeito mais pra frente). Então esta pessoa criou uma meta para ela mesma, atingir os R$7800 o mais rápido possível. 

Para isso ela fez um esforço e passou a guardar 15% do salário de R$1500. Ou seja, ela passou a guardar R$225 por mês. No final do ano ela ainda separou R$500 do décimo terceiro. Em pouco mais de dois anos ela atinge a meta de R$7800.

Depois de atingir a primeira meta e sentir o prazer de viver com um pouco mais de liberdade, esta pessoa vai querer traçar novas metas e novos planos. Está traçado o caminho para sua tranquilidade financeira! 

“Uma frase que ouvi certa vez e me marcou muito! É muito mais difícil sair do zero e chegar aos primeiros R$10.000 do que sair dos R$10.000 e chegar aos R$100.000.” Então, tenha a coragem de dar o primeiro passo, e a bravura de continuar caminhando. Você não vai se arrepender.

 

Bonus – Duas Dicas de Ouro

a) Onde eu posso guardar este dinheiro?

A minha dica é abrir uma conta em uma corretora financeira como a Easynvest, Modal Mais, Clear ou a Rico. Existe a opção de usar o NuBank ou o Banco Inter, porém, para quem está começando eu não recomendo, pois eles oferecem cartão de débito e crédito e é muito fácil de resgatar o dinheiro. 

Já na corretora financeira, você tem que pedir o resgate, depois de um ou dois dias fazer a transferência para a sua conta do banco que pode levar mais um dia, para só então poder gastar. Esse processo todo ajuda você a pensar em alternativas para não resgatar o dinheiro. Além disso, quando você coloca o dinheiro na corretora, você tende a esquecer que tem este dinheiro, enquanto que no banco, você fica lá, vendo seu saldo todos os dias.

 

b) E qual investimento eu devo fazer?


Para essa pergunta eu apresento duas respostas.

1 – Se você tem autocontrole e sabe que não estará tentado a resgatar o dinheiro na primeira dificuldade, você pode buscar um título de alta liquidez como o Tesouro Selic ou um CDB de um banco que pague 100% do CDI e que tenha liquidez diária. Liquidez diária significa que você pode resgatar esse dinheiro a qualquer momento sem maiores prejuízos. 

2 – Se você tem dificuldade com autocontrole, minha recomendação é que você compre um título sem liquidez com um prazo de vencimento de 2 a 3 anos. As opções seriam CDB, LC, Tesouro, Tesouro IPCA. Não recomendo o Tesouro pré-fixado por é preciso entender um pouco sobre as tendência do mercado e da Taxa Selic para não correr o risco de entrar numa fria.

Posts recentes

Deixe um comentário

emoções e acupuntura